Ao contrário do que pode parecer, a beleza da peça não deve ser o único critério utilizado na hora da compra

 

Encontrar o revestimento ideal para a cozinha pode ser uma das missões mais difíceis de quem decidiu reformar a casa ou está escolhendo o visual da casa nova.

Separamos algumas dicas que irão te ajudar a não realizar uma escolha errada e, além da beleza, ganhar muitos outros benefícios!

 

Confira os 5 fatores que você precisa encontrar no novo revestimento da sua cozinha:

 

1 – Funcionalidade

Por razões óbvias, a cozinha é uma das áreas mais utilizadas de uma casa e, embora o seu visual seja importante, nada substitui sua funcionalidade.

Ao escolher um revestimento para a cozinha, você precisa considerar quão funcional ele é, ou seja: seu novo revestimento é fácil de limpar? Como será feita a manutenção? Ele exigirá produtos específicos? Será prático para o dia-a-dia de alguém que cozinha todos os dias?

 

2 – Durabilidade

Embora parecido com o item anterior, este fator é um pouco mais complexo de ser avaliado, e exige que o consumidor busque informações confiáveis.

Fabricantes afirmam que revestimentos de cerâmica são os mais duráveis – podendo chegar a incríveis 40 anos de uso sem danos! -, mas outros materiais também podem atingir longos períodos de usabilidade.

 

3 – Isolamento Térmico

Você sabia que, embora visualmente belos, alguns revestimentos são suscetíveis ao calor da cozinha e podem se desintegrar com o tempo?

Novamente, a busca por informações confiáveis será vital para saber se a peça desejada verdadeiramente possui a isolação térmica como um de seus diferenciais.

Aqui vai uma boa dica: alguns revestimentos podem acabar “aquecendo” ainda mais sua cozinha, tornando os dias de verão quase insuportáveis!

 

4 – Instalação Fácil

A instalação de qualquer tipo de revestimento exige perícia, mas, quando o local é a cozinha, todo o cuidado deve ser redobrado.

Muitos clientes escolhem o mais belo revestimento que encontram sem atentar-se para o grau de dificuldade de sua instalação, e acabam tendo problemas com mão de obra de qualidade satisfatória.

Não existe uma “regra inflexível” sobre o assunto, mas opiniões de consumidores e testemunhos de especialistas na internet podem te ajudar a encontrar o revestimento ideal para sua cozinha.

 

5 – Loja de confiança

A loja na qual você comprará seu revestimento exercerá um papel de suma importância na reforma da sua cozinha.

“Como revestimentos de cozinha são um produto muito procurado e que gera muitas dúvidas, a atuação e a honestidade do vendedor serão fundamentais para o sucesso do cliente”, opina Paloma Henriques, fundadora da Brilho do Sol, loja de materiais de construção cujas unidades são sediadas em Campos dos Goytacazes/RJ

 

Não se esqueça das características da SUA cozinha

 

É claro que adquirir o revestimento dos seus sonhos é uma grande alegria, mas não se esqueça de sonhar de acordo com as características da sua cozinha.

O tamanho, as cores predominantes e os móveis presentes nela são fatores que precisam ser levados em consideração na hora de escolher o revestimento ideal. O segredo é não ter pressa até encontrar aquela peça que parece ter sido criada sob medida para você!

 

 

Na hora de reformar sua casa, saber por onde começar é fundamental e pode poupá-lo de muitos problemas!

 

A ansiedade para ir às lojas de materiais de construção e começar logo a reforma da sua casa é sempre grande, mas algumas precauções são fundamentais para que este sonho não se transforme em pesadelo.

 

Confira estas 5 coisas das quais você não deve – em hipótese alguma! – se esquecer:

 

1 – Defina as prioridades de sua reforma

Pense, antes de mais nada, naquilo que precisa ser reformado urgentemente. Itens como goteiras, vazamentos, infiltrações e coisas do gênero precisam ser prioritários.

Antes de iniciar a parte estética, invista na infraestrutura de sua casa, afinal será ela a verdadeira responsável pela manutenção (ou elevação) da sua qualidade de vida.

 

2 – Busque referências de reformas bem-sucedidas

Graças ao boom da internet e das mídias sociais, encontrar exemplos de reformas bem-sucedidas tornou-se algo simples. Para facilitar o trabalho dos pedreiros, arquitetos e demais profissionais que te auxiliarão, tenha em mãos referências claras de qual resultado final você deseja.

Escolher itens a esmo, sem uma “bússola”, pode induzir você a cometer erros dos quais se arrependerá mais tarde. Portanto, antes de pôr a mão na massa, encontre as fotos da “casa dos seus sonhos” – dentro do seu orçamento, é claro.

 

3 – Contrate mão de obra especializada

Certamente você conhece a história de alguma reforma que acabou sendo prejudicada pela péssima prestação de serviço feita por alguém.

Infelizmente, esta decepção é comum. Por isso, não tente economizar buscando profissionais “barateiros” dos quais você não tenha referências confiáveis, pois o que parece ser uma bagatela pode acabar se tornando uma imensa dor de cabeça.

“O que mais ouvimos em nossas lojas são relatos de pessoas que perderam muito dinheiro devido à escolha de maus profissionais”, relata Paloma Henriques, fundadora da Brilho do Sol, loja de materiais de construção cujas unidades são sediadas em Campos dos Goytacazes/RJ.

 

4 – Formalize seus prazos e contratos com os profissionais que participarão da sua reforma

Esta é uma dica diretamente relacionada à anterior. Depois de escolher as pessoas certas, opte pela formalização do vínculo, estabelecendo metas, prazos de cumprimento, etapas da obra e afins.

Nunca pague todo o valor adiantadamente, e solicite orçamentos por escrito e notas fiscais que, no futuro, comprovem que os pagamentos acordados foram efetuados.

 

5 – Adquira materiais de construção de qualidade

A estética até pode ser um alvo de economia, mas a estrutura não. Tome um grande cuidado com materiais de procedência duvidosa ou com preços muito abaixo dos praticados no mercado.

O “cimento mais barato” ou a “telha mais barata” podem te ajudar no início da reforma, mas te causar grandes problemas ao fim dela.

É claro que o preço é um fator de suma importância em qualquer compra, mas busque aliá-lo a padrões de qualidade confiáveis.

 

Planejamento, Pesquisa e Paciência: Os 3 P’s da reforma de sucesso

 

Alinhando as três palavras acima, você estará bem equipado para iniciar uma empreitada repleta de riscos, mas também extremamente necessária. Afinal de contas, reformar a casa é investir no único lugar que sempre estará de portas abertas para você 24 horas por dia, 7 dias por semana.

Reformas são assim: problemáticas no começo, mas recompensadoras no fim!

 

 

Todo mundo sabe que reformas podem causar transtornos, mas pequenas atitudes podem evitar grandes problemas

 

Reformar a casa está longe de ser uma tarefa fácil, e você certamente conhece alguém que passou por alguma reforma traumática da qual jamais se esqueceu.

Embora uma reforma envolva diversos fatores – como a escolha dos pedreiros, do arquiteto e dos materiais de construção -, algumas atitudes estão ao seu alcance e podem impedir que o sonho se transforme em pesadelo.

 

Confira 3 truques que te ajudarão a economizar dinheiro (e dores de cabeça):

 

1 – Estabeleça um teto de gastos (e respeite-o incondicionalmente)

Antes de começar qualquer reforma, é preciso estabelecer um teto de gastos. Quanto você pode investir sem perder o controle de suas finanças? Qual é o valor que representa o limite do seu orçamento?

Registre este valor e, se desejar, coloque-o no papel, deixando-o sempre à mostra. Decida, antes mesmo de ir a qualquer loja ou entrar em contato com qualquer profissional, que aquele valor não poderá ser ultrapassado, independente de quantos belos itens ou oportunidades aparecerem ao longo da reforma.

Lembre-se: sua firmeza com o teto de gastos do início determinará o seu sucesso no final.

 

2 – Cuidado com economias perigosas: o barato pode sair caro

Ao sair para comprar os materiais de construção necessários, muitas pessoas pensam que é justamente neste momento que o limite orçamentário pode ser mais controlado e, embora esta não deixe de ser uma verdade, alguns cuidados precisam ser tomados.

Por exemplo: comprar o cimento mais barato e de procedência duvidosa pode te ajudar a economizar, mas também comprometerá a estrutura de sua casa; revestimentos mais baratos podem ser atrativos, mas, no futuro, se mostrarão fontes de muitos problemas.

Em alguns itens, não faz mal procurar pelo melhor preço, ainda que a qualidade seja um pouco comprometida. Em outros, porém, este erro pode ser fatal.

“O consumidor precisa discernir entre o que é estrutural e o que é ornamental”, ensina Paloma Henriques, fundadora da Brilho do Sol, loja cujas unidades são sediadas em Campos dos Goytacazes/RJ. “No ornamental, pode-se escolher de acordo com o preço, mas itens estruturais precisam ser da melhor qualidade possível.”

Você pode, no entanto, ter dificuldades para identificar quais materiais se encaixam em cada categoria. É por isso que o 3° e último truque torna-se fundamental.

 

3 – Evite lojas cuja reputação você desconheça

Compras de importância vital como materiais de construção devem ser feitas em lojas das quais você já possua boas referências.

Afinal, atrasos de entrega, materiais danificados e itens vendidos com especificações incorretas estão entre os principais problemas enfrentados por quem aceita encarar o desafio da reforma.

Visite o máximo de lojas possível para realizar orçamentos, mas evite aquelas nas quais você sente que não pode confiar inteiramente. Uma boa dica é buscar pela reputação de cada loja na internet e nas mídias sociais.

 

Reformas são assim: estressantes no começo, mas recompensadoras no fim.

 

Siga as dicas acima e prepare-se para uma jornada que, apesar de repleta de ansiedade, costuma gerar grandes alegrias.

Ah: caso tenha uma “história de reforma”, compartilhe-a conosco nos comentários deste post. Seus erros e acertos podem ser de grande valor para quem irá embarcar nessa!

 

 

Eles são belíssimos e costumam figurar entre os principais objetos de desejo na hora da reforma, mas atenção: algumas precauções são necessárias!

 

Antes inacessíveis para grande parte da população, os porcelanatos se tornaram um dos maiores campeões de venda da última década devido ao surgimento de diferentes estilos, acabamentos, modelos e faixas de preço.

No entanto, muita gente não sabe que este belo revestimento possui seus próprios segredos, e uma compra por impulso pode representar o surgimento de sérios problemas.

 

Confira os 5 principais truques para escolher o porcelanato ideal:

 

1 – Atente-se ao acabamento do porcelanato

Alguns porcelanatos tendem a ser mais escorregadios e, por isso, não são indicados para banheiros. Colocá-los em varandas ou áreas nas quais há grande circulação de crianças também é um risco.

Em ambos os casos, você precisa optar por peças cujo acabamento seja mais “rugoso” ou elimine o perigo. Manter-se atento a este “detalhe” pode ser uma das decisões mais acertadas de quem está reformando o piso da casa.

 

2 – Não compre apenas pela beleza

É claro que a beleza do porcelanato é fundamental, mas ela deve ser encarada como apenas um dentre os principais fatores que te levarão a decidir – ou não – pela compra de uma peça.

Pense também na durabilidade, na qualidade do material e nos testemunhos de clientes que já adquiriram o mesmo produto.

 

3 – Saiba o tamanho de cada peça

Esta é mais uma dica que parece simples, mas que já foi a causadora de grandes problemas para quem se esqueceu de informar-se sobre as medidas do porcelanato e verificar se elas se adaptam bem ao tamanho do ambiente no qual serão instalados.

Lembre-se: porcelanatos grandes “ampliam” o ambiente, e dão ao visitante a sensação de que estão em um espaço maior. Este pode, ou não, ser um efeito desejado pelo comprador.

 

4 – Existem porcelanatos específicos para cada tipo de ambiente

Não que haja uma “regra inflexível” sobre o assunto, mas os fabricantes já idealizam determinados porcelanatos para quartos, banheiros, cozinhas, áreas externas, etc.

“Informar-se sobre este e outros fatores com o vendedor é fundamental”, destaca Paloma Henriques, fundadora da Brilho do Sol, loja cujas unidades são sediadas em Campos dos Goytacazes/RJ. “Quanto mais bem informado for o vendedor, mais seguro estará o cliente”, completa a empresária, especialista no setor.

 

5 – Vá à loja, mas nunca perca de vista a sua casa!

Muitas pessoas se deslumbram com as opções de porcelanato e acabam se esquecendo do principal: idealizar o ambiente onde eles serão instalados!

Por isso, visualize sua casa e, se necessário for, tire fotos de cada cômodo para compará-lo com as peças disponíveis no estoque da loja de sua confiança.

 

Tão importante quanto O QUE comprar é ONDE comprar!

 

Como você já deve ter percebido, para pôr em prática a maioria dessas dicas, o consumidor precisará da ajuda de um vendedor especializado.

Por isso, é aconselhável que você procure lojas cuja reputação de cumprimento de prazos e comprometimento com a satisfação do cliente sejam conhecidos.

 

 

Na hora de escolher as telhas, muitos optam pela mais barata, enquanto outros guiam-se somente pela aparência. Descubra como não cair em armadilhas:

 

Elas são, literalmente, um dos mais importantes itens de uma casa, mas, em momentos de construção ou reforma, acabam ficando em segundo plano e, às vezes, são um dos últimos itens escolhidos pelo proprietário.

Durante muito tempo, as telhas tiveram design básico, e diferenciavam-se entre si somente por especificações técnicas. Não mais. Agora, belos telhados são o sonho de quase todo mundo, e eles nunca estiveram tão ao alcance da população em geral.

 

Descubra agora 5 segredos para não errar na escolha das suas telhas:

 

1 – Procure telhas certificadas pelo Inmetro

Telhas precisam obedecer a normas técnicas e, quando o fazem, possuem selos e/ou certificações que garantem que o consumidor não está adquirindo um produto adulterado ou produzido artesanalmente, sem o profissionalismo necessário.

Outra boa dica é consultar o site do Centro Cerâmico do Brasil (CCB), que lista telhas cuja qualidade e confiabilidade já foram testadas e confirmadas pelo órgão.

 

2 – Não escolha apenas telhas bonitas; pense em durabilidade

Embora “cada telha seja uma telha”, especialistas e fabricantes são unânimes ao afirmar que as telhas de cerâmica são as mais duráveis. Algumas, inclusive, chegam a possuir garantias de fábrica superiores a 15 anos!

Outros materiais também são duráveis, mas algumas telhas – por serem mais baratas ou até mesmo mais inovadoras – possuem um belo design, mas podem, a médio prazo, lhe trazer grandes dores de cabeça.

Seja qual for a sua escolha, certifique-se de que as telhas adquiridas resistirão ao tempo e, principalmente, ao clima de sua região. Esse, aliás, é o tema do próximo segredo.

 

3 – Existe uma telha certa para cada clima

Muitas pessoas não sabem que determinadas telhas são mais recomendadas para climas frios, enquanto outras, lidam melhor com o calor.

Tons escuros em telhas de concreto, por exemplo, costumam reter calor, e podem elevar a temperatura da casa. Por outro lado, telhas de metal recheadas podem facilitar a saída do calor no inverno. Até mesmo a maresia deve ser levada em conta quando você está adquirindo telhas para uma casa na praia!

Portanto, antes de escolher a telha perfeita, pesquise o máximo que puder sobre as consequências da ação do clima sobre o material do qual ela é feita.

 

4 – O tamanho da telha precisa dialogar com a inclinação do telhado

Caso sua obra não tenha nascido a partir de um projeto arquitetônico profissional, é quase fatal enfrentar problemas inesperados. Um deles, por exemplo, é adquirir as telhas sem levar em conta a inclinação do telhado.

Nos últimos anos, autoridades tentaram facilitar a vida do consumidor e obrigaram os fabricantes a estampar no verso das telhas aquilo que é chamado de “galga média”, ou seja, a distância entre as quais as ripas do telhado devem ficar, além do rendimento útil, que mostrará quantas daquelas telhas serão necessárias para cada metro quadrado.

Ufa! Muita informação, não é mesmo? É por isso que, ao escolher a telha de sua casa, você precisa conhecer o último e mais importante de todos os segredos:

 

5 – Compre telhas em uma loja confiável

A menos que esta fosse sua última opção, você certamente não iria a um médico do qual nunca ouviu falar. Com os materiais de construção da sua casa, o seu cuidado precisa ser o mesmo!

“O consumidor precisa ter cuidado com lojas e depósitos que ofereçam apenas preço, mas não tenham reputação. Existem milhões de casos nos quais o barato acabou custando caro”, alerta Paloma Henriques, proprietária da Brilho do Sol, loja especializada em materiais de construção que possui 3 unidades em Campos dos Goytacazes/RJ

A assistência técnica dada pela loja também é fundamental, e o conhecimento do vendedor pode ser um excelente “termômetro” para que você saiba se está no lugar certo.

 

A escolha da telha certa não é uma ciência exata

 

Além disso, ela também não é uma arte solitária. Pesquise, planeje e peça ajuda a pessoas especializadas na área.

Lembre-se: um telhado bonito e duradouro fará todo o seu esforço valer a pena!